DESEMPREGO SUSPENDE SONHOS! Falta de trabalho leva a parar faculdade, voltar a morar com os pais aos 30 e fazer bicos mesmo doente.

 

Do UOL em São Paulo.

Fila de 13 milhões faz desempregados improvisarem.

 

Desde que perdeu seu emprego como porteiro, há quatro meses, o paulista Silvio Rodrigues da Silva, 52, tem que se virar para arcar com as contas do mês, um pacote bem básico que inclui o aluguel da casa onde mora sozinho, na zona leste de São Paulo, a luz e o telefone –a internet ele cortou para reduzir os gastos. A filha, de 20 anos, também teve de esperar: “Tive de cancelar a faculdade dela. Enquanto estava trabalhando, ajudava a pagar”, disse.

Desde os 15 anos, era basicamente Beatriz Ribas .quem sustentava a casa, onde mora com a mãe e os dois irmãos mais novos. Com problemas nas articulações, sua mãe, hoje com 40 anos, fazia limpezas e chegou a parar de trabalhar, mas retomou as faxinas desde que Beatriz perdeu o emprego de atendente numa clínica odontológica, há três anos. “A gente joga as contas para cima e escolhe qual vai pagar no mês”, disse.

Silvio e Beatriz são um pequeno retrato do que acontece no mercado de trabalho brasileiro, que, apesar de ensaiar uma leve retomada na geração empregos, ainda tem um batalhão de 13 milhões de desempregados na fila de espera pela próxima oportunidade, segundo as estatísticas oficiais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Centenas dessas pessoas se amontoaram sob chuva em uma longa fila na segunda-feira (6), à porta do Sindicato dos Comerciários de São Paulo, no centro da capital, onde ocorria o segundo mutirão do emprego realizado pela entidade: eram mais de 4.000 vagas oferecidas em posições como vendedor, motorista, telefonista, padeiro, analista de sistemas ou atendente de telemarketing. Muitos dos interessados chegaram antes das 6h da manhã e ficaram por mais de seis horas na fila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
%d blogueiros gostam disto: