Governo reduz direitos e a economia não reage.

Diante de um cenário em que a produção industrial está quase paralisada e o consumo dos brasileiros em baixa, não vemos nenhuma tentativa de acerto nas políticas do Governo. Em vez de buscar alternativas para aquecer a economia e a produtividade no Brasil, o Governo parece preocupado, apensa, em atacar os direitos da classe trabalhadora. Direitos históricos que regiam as relações entre capital e trabalho foram eliminados, fato que poderá trazer consequências sérias no futuro. Essa abertura quanto ao modo de contratação, com redução de tarifas, trabalhadores jovens se submetendo às mínimas condições de trabalho e salário reduzido, tudo isso poderá criar um exército de jovens trabalhadores descompromissados, sem interesses em carreiras, sem consciência de classe; sem interesse de defender seus direitos de lutar por conquista de classe.

Esta é uma questão que deve ser avaliada com cautela pelo povo brasileiro, pois não é a folha de pagamento das empresas que está atravancando a produtividade no Brasil, mas sim a falta de projetos e mecanismos para o desenvolvimento da economia estabilizada, em um futuro bem próximo. O empresariado brasileiro ainda não tem uma perspectiva de uma economia atraente nem a curto, nem a longo prazo; os investidores estrangeiros ainda observam a economia brasileira um poço de areia movediça. É preciso frisar que o plano do atual Ministro Paulo Guedes exige uma grande demanda de tempo e não garante resultados desejados ou corretos; e a reforma tributária não tem data para conclusão.

Além de tudo isso, vamos fechar mais um ano com o PIB do agronegócio crescendo mais que o conjunto da economia e a indústria produtiva parada. O que também nos deixa apreensivos é que em 2020, ano eleitoral, o Congresso e o Senado se debrucem apenas nas eleições para prefeito e vereadores, tentando fortalecer suas bases. Nossos desafios serão árduos.

De qualquer forma, seguiremos juntos e firmes na luta. Vamos buscar assegurar os direitos que temos garantidos como categoria organizada, em Convenção Coletiva de Trabalho. São direitos conquistados ao longo de muita luta. Além do mais, buscar influenciar a política no Congresso e no Senado para acabar com a ideia deste governo de que reduzir direitos gera economia.

Aproveitamos para desejar a todos – trabalhadores do Setor Químico e de todas as categorias – um Feliz Natal e próspero Ano Novo! Somos todos trabalhadores e trabalhadoras do nosso imenso Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
%d blogueiros gostam disto: